“Quero morrer em um Domingo e com o Corinthians Campeão” – Sócrates 1954-2011

Posted by Tatiana Caudill on dezembro 5, 2011 in 2009 |
Manhã de domingo, dia de final do Campeonato Brasileiro. Levantei e, como de costume, fui ler as notícias do dia no Brasil. A manchete principal trazia a notícia que arruinou meu dia: “Morre Sócrates, um dos melhores jogadores de futebol da história do Brasil e um dos maiores ídolos do Corinthians”.
Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira, mais conhecido como Magrão ou Sócrates, era amado e respeitado por todas as torcidas, mas pra minha família era mais que um jogador, o Tio Sócrates era um amigo.
Na época em que o Doutor jogava pelo Corinthians, meu pai jogava pelo Palmeiras. Até o dia 31-07-1979 os dois se conheciam apenas dentro de campo, mas uma situação inusitada viria a mudar este quadro e aproximar os dois jogadores. Minha mãe, estava grávida de mim e entrou em trabalho de parto num dia do Jogo do Palmeiras. Meu pai não poderia ficar no hospital, porque, jogadores e soldados, faça chuva ou faça sol, tem que estar prontos para a guerra.
Por acaso o Doutor Sócrates estava de plantão naquele dia. Meu pai não pensou duas vezes e solicitou a presença do médico-jogador no meu parto, pedindo a ele que cuidasse da minha mãe na sua ausência. Era o início do que se tornaria uma grande amizade.
Sócrates foi revelado pelo Botafogo, clube de Ribeirão Preto, onde foi considerado um fenômeno desde o início, pois quase não aparecia nos treinos, já que seu tempo era limitado, devido ao seu curso de medicina, na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP). O Doutor só aceitou jogar para valer depois que se formou. Ele foi destaque pelo Botafogo e foi campeão do 1º Turno do Campeonato Paulista de 1977, além de artilheiro do campeonato. Também se destacou no Campeonato Brasileiro, autor de um célebre gol de calcanhar contra o Santos em plena Vila Belmiro.
No Corinthians ele se firmou refazendo a dupla com seu ex-companheiro Geraldo Manteiga. Mas seus grandes companheiros de ataque nesse time seriam Palhinha e o amigo Casagrande.
Infelizmente, Sócrates era um grande bebedor de whisque. Era seu vício desde os tempo de boleiro. Tantos anos ingerindo tamanha quantidade de alcool trouxe consequências e o jogador foi vítima de uma cirrose hepática e problemas no sistema digestivo, o que debilitou seu organismo. Na sua terceira internação em quatro meses, Tio Sócrates não resistiu e nos deixou.

O Doutor chegou ao Corinthians, seu time do coração, em 1978 e teve uma trajetória brilhante com a equipe do Parque São Jorge.
Em uma entrevista, em 1983, foi perguntado como ele desejaria morrer. Ele respondeu sem pensar: “Quero morrer em um Domingo e com o Corinthians Campeão”. Sócrates morreu por volta das 4h da manhã deste domingo (04/12) e foi homenageado por 40 mil Corinthianos por volta das 16h da mesma data em que o Timão foi Campeão Brasileiro.

Pedido atendido!
Deus te receba Tio Sócrates!

Tatiana Caudill

UmbigoThis!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Copyright © 2009-2014 Cravo E Canela All rights reserved.